Altar Literário... Apresentando: Carlos Ruiz Zafón.

19:51


Aconteceu no ano de 2009. Eu viajava pela livraria da Universidade em busca de uma nova conquista. Queria ser arrebatada de novo, daquele jeito inesquecível. Passando por um corredor ou outro, eu o avistei, com sua capa maravilhosa, as letras escritas em vermelho, e aquela paisagem que é capaz de sugar qualquer um para dentro de si.
A Sombra do Vento.
As palavras do Barcelonês que roubou, de uma vez por todas, o meu coração. Nunca mais pude viver sem ele, sem suas histórias perfeitas, seus personagens complexos e aquela mania de enredar fantasia e realidade como ninguém.
Aí veio O Jogo do Anjo, e meu amor ficou ainda maior. Decidi que poderia ser a Isabella de Zafón (só quem leu vai entender), que poderia chamá-lo de mestre e que meu novo sonho era ter um livro autografado por ele.
Depois Marina. Entreguei-me de vez.
O Prisioneiro do céu. O Príncipe da nevoa.
E eu quero mais. Sempre mais.
Através da Suma de Letras, ele pode chegar a qualquer um de nós e, a ela, serei eternamente grata pelo prazer de ter em mãos todas as obras do meu ídolo: Carlos Ruiz Zafón.

Residente atualmente na cidade de Los Angeles, aos 48 anos, o escritor nascido em Barcelona, contempla o sucesso de anos dedicados ao prazer de ser escritor. Seu primeiro livro foi O Principe da Névoa, no qual nos traz uma nota de apresentação magnífica, revelando seus sentimentos e trazer às nossas mãos seu primeiro romance, escrito para jovens, mas que foi pensado para ser lido por pessoas de 23, ou 83 anos. Mas seu ápice ocorreu com o aclamado A Sombra do Vento, cujo forma uma trilogia junto de O Jogo do Anjo e o Prisioneiro do céu, sendo que suas histórias se complementam sem uma linearidade obrigatória. Nessas histórias você conhece Daniel e Férmin, e suas aventuras no cemitério dos Livros Esquecidos, o lugar sonhado por todos os nerds literários fãs de Zafón. Dentre outros personagens dos quais falarei em uma resenha mais especifica.
Sem dúvida esse autor figura entre as estrelas da literatura mundial contemporânea, e faz por merecer, pois seu talento é inigualável, capaz de conquistar o coração de adolescentes e idosos. Espero ansiosamente pelos próximos lançamentos, e se eu pudesse mandar um recado para meu admirado Zafón, eu só diria:

POR FAVOR, NÃO PARE DE ESCREVER. NUNCA.

"Cada vez que um livro troca de mãos, cada vez que alguém passa os olhos sob suas páginas, seu espírito cresce e a pessoa se fortalece." (A Sombra do Vento, p.9)








You Might Also Like

0 comentários

Todos são livres para mostrar opiniões, mas aqui desde que não haja nenhuma ofensa.